Busca:

Dólar comercial sobe 2,64% em agosto, sua maior alta mensal desde maio de 2010


Após abrir em alta e virar para o campo negativo no começo da tarde, o dólar comercial voltou para o campo positivo e conseguiu fechar esta quarta-feira (31) com variação positiva de 0,31%, interrompendo uma sequência de três quedas, cotado na venda a R$ 1,593. Com isso a divisa norte-americana fechou agosto com apreciação de 2,64%, seu melhor mês desde maio de 2010, depois de dois meses seguidos de desvalorização.

deuda

Já dólar Ptax, que referencia os contratos futuros na BM&F Bovespa, fechou cotado a R$ 1,5872 na venda, queda de 0,20%, acumulando alta de 2% durante o oitavo mês de 2011.

Além da expectativa acerca da reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), que terminará na noite desta quarta, os investidores também avaliaram os bons dados econômicos divulgados na economia norte-americana. No front doméstico, destaque para as intervenções do Banco Central, bem como os dados do fluxo cambial.

Compras de dólares

A autoridade monetária realizou um leilão de compra de dólares no mercado cambial à vista, com taxa de corte de R$ 1,5856, começando às 15h53 (horário de Brasília) e término às 15h58. Esse tipo de intervenção resultou na compra de US$ 416 milhões, entre os dias 22 a 26 de agosto.

O BC também se dispõe de contratos de swap cambial reverso, arma utilizada na sessão anterior e nessa própria sessão. Contudo, a tentativa falhou nessa quarta-feira, visto que nenhum dos contratos ofertados foi vendido. Além disso, repercutiu também no mercado o fluxo cambial brasileiro da última semana, que teve saldo positivo de US$ 5,404 bilhões.

Agenda norte-americana

Nos EUA, o ADP Employment, informou a abertura de 91 mil vagas no setor privado do país no mês, resultado inferior às expectativas do mercado. A situação de emprego é uma das principais preocupações acerca da economia do País, e a taxa de desemprego continua a patamares desapontadores.

Já os números sobre a produção industrial animaram o mercado. O Chicado PMI, indicador que mede o nível de tividade industrial na região, atingiu 56,5 pontos, superior às projeções de 53 pontos. Por fim, o Factory Orders, que mede o volume de encomendas à indústria norte-americana, avançou 2,4% durante o mês de julho, também vindo melhor do que esperado.

Dólar comercial e futuro

O dólar comercial fechou cotado a R$ 1,5916 na compra e R$ 1,5925 na venda, alta de 0,28% em relação ao fechamento anterior. Com esta alta, o dólar acumula valorização de 2,64% em agosto, frente à baixa de 0,64% registrada no mês passado. No ano a desvalorização acumulada da moeda norte-americana já chega a 4,42%.

Na BM&F, o contrato futuro com vencimento em setembro segue o dia cotado a R$ 1,587, baixa de 0,28% em relação ao fechamento de R$ 1,592 da última terça-feira. O contrato com vencimento em outubro, por sua vez, opera em leve alta de 0,06%, atingindo R$ 1,602 frente à R$ 1,601 do fechamento de ontem.

O dólar pronto, que é a referência para a moeda norte-americana na BM&F Bovespa, registrava R$ 1,5910000.

Post Relacionados

Sem comentários

RSS de comentários. TrackBack URI

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil