Busca:

Dólar cotado em R$ 1,61 no fechamento de hoje


O volume de negócios desta quinta-feira chamou a atenção dos profissionais das mesas de operações, após dias de "secura" no mercado de câmbio doméstico.

2dk8TYL

E num dia onde normalmente se registra um fluxo intenso de saída, o movimento inverso ajudou a derrubar os preços da moeda americana para R$ 1,617, o que significa um decréscimo de 0,73% sobre o fechamento de ontem.

A cotação do turismo acompanhou a queda, e o dólar foi vendido por R$ 1,740 e comprado por R$ 1,550 nas casas de câmbio paulistas.

Ainda operando, a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) valoriza 1%, aos 64.028 pontos. O giro financeiro é de R$ 6,28 bilhões. Nos EUA, a Bolsa de Nova York sobe apenas 0,04%.

O recuo dos preços visto hoje, no entanto, não tiraram a percepção de que as taxas de câmbio podem subir no curto prazo, testando novamente os patamares de R$ 1,63 e R$ 1,64.

Analistas influentes do mercado já admitem que as medidas tomados pelo governo lá atrás –com foco no IOF– começaram a fazer efeito, e devem restringir a "enxurrada" de dólares vista nos primeiros meses deste ano. "A perspectiva é de que diminua aquela entrada ‘absurda’ de dólares, e o dólar passe a trabalhar acima de R$ 1,63, como alguns bancos têm projetado", comenta Sérgio Abrosio, da mesa operações da Levycam Corretora.

Outros profissionais do setor financeiro ressaltam que uma definição para a tendência do câmbio depende ainda do desfecho das várias "novelas" que o mercado tem monitorado nos últimos meses: o fim do programa de estímulos do banco central americano, previsto para junho; e a crise da zona do euro, que ainda demanda uma nova rodada de resgate financeiro dos países mais fragilizados.

Entre as principais notícias do dia, O governo dos EUA revelou que o PIB (Produto Interno Bruto) desse país cresceu a uma taxa (anualizada) de 1,8% no primeiro trimestre deste ano, ante o trimestre passado, conforme a segunda estimativa preliminar. No último trimestre do ano passado, o crescimento estimado foi de 3,1%.

No front doméstico, o IBGE apontou uma taxa de desemprego de 6,4% em abril. Trata-se da menor taxa para um mês de abril desde 2002.

Post Relacionados

Sem comentários

RSS de comentários. TrackBack URI

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil